Big Data: O que é e qual sua importância?

às 21:30

Conteúdo do Vida Digital

Big data é um termo que descreve o grande volume de dados — tanto estruturados quanto não-estruturados — que sobrecarrega as empresas diariamente. Mas não é a quantidade de dados disponíveis que importa; é o que as organizações fazem com eles. O big data pode ser analisado para obter insights que levam a decisões melhores e ações estratégicas de negócio.

Embora o termo “big data” seja relativamente novo, o ato de coletar e armazenar grandes quantidades de informações para análises eventuais é muito antigo. O conceito ganhou força no começo dos anos 2000, quando o analista Doug Laney articulou a definição atualmente mainstream de big data em três Vs:

Volume. Organizações coletam dados de fontes variadas, incluindo transações financeiras, mídias sociais e informações de sensores ou dados transmitidos de máquina para máquina. No passado, armazená-los teria sido um problema — mas novas tecnologias (como o Hadoop) aliviaram esse fardo.

Velocidade. Os dados são transmitidos numa velocidade sem precedentes e devem ser tratados em tempo hábil. Etiquetas RFID, sensores e medições inteligentes estão impulsionando a necessidade de lidar com torrentes de dados praticamente em tempo real.

Variedade. Dados são gerados em inúmeros formatos — desde estruturados (numéricos, em databases tradicionais) a não-estruturados (documentos de texto, e-mail, vídeo, áudio, cotações da bolsa e transações financeiras).

Variabilidade. Além das crescentes velocidade e variedade dos dados, seus fluxos podem ser altamente inconsistentes com picos periódicos. Qual a última tendência nas redes sociais? Todos os dias, picos de dados sazonais ou gerados por eventos particulares podem ser difíceis de gerenciar, ainda mais com dados não-estruturados.

Complexidade. Os dados de hoje vêm de múltiplas fontes, o que torna difícil ligá-los, combiná-los, limpá-los e transformá-los entre sistemas. No entanto, é necessário conectar e correlacionar relações, hierarquias e ligações múltiplas, ou você pode rapidamente perder o controle sobre seus dados.

O grande potencial do big data

A quantidade de dados criados e armazenados globalmente é quase inimaginável, e apenas continua crescendo. Isso significa que há ainda mais potencial para extrair insights importantes dessas informações — embora apenas uma pequena porcentagem dos dados seja realmente analisada. O que isso significa para as empresas? Como elas podem fazer um uso melhor dessas informações brutas que fluem para dentro de suas paredes todos os dias?

Qual a importância do big data?

A importância do big data não gira em torno da quantidade de dados que você tem, mas do que você faz com eles. Você pode obter dados de várias fontes e analisá-los para encontrar respostas que permitem 1) reduzir custos; 2) economizar tempo; 3) desenvolver novos produtos e otimizar ofertas; 4) tomar decisões mais inteligentes. Quando você combina big data com inteligência analítica de alta performance, você pode realizar tarefas corporativas como:

  • Determinar a causa de falhas, problemas e defeitos quase que em tempo real;
  • Gerar cupons no ponto de venda com base nos hábitos de compra do cliente;
  • Recalcular carteiras de riscos completas em minutos;
  • Detectar comportamentos fraudulentos antes que eles afetem sua organização.

Quem está usando big data?

Bancos

Com grandes quantidades de informações sendo transmitidas de inúmeras fontes, os bancos são desafiados a encontrar maneiras novas e inovadoras de gerenciar big data. Embora seja importante entender os clientes e aumentar sua satisfação, minimizar riscos e fraudes, além de manter uma conformidade regulatória, também é. O big data traz ótimos insights, mas exige que as instituições financeiras estejam um passo à frente com inteligência analítica avançada.

Ensino superior

Educadores munidos com insights orientados por dados podem ter um impacto significativo sobre os sistemas escolares, estudantes e currículos. Com a análise de big data, eles podem identificar alunos em risco, assegurar que os estudantes estão progredindo de forma adequada e implementar sistemas melhores de avaliação e apoio aos professores e diretores.

Governo

Quando o governo é capaz de usar e aplicar inteligência analítica sobre seu big data, ele progride significativamente no que se refere à gestão de serviços públicos, órgãos, lidar com o congestionamento ou prevenir a criminalidade. Mas ainda que o uso de big data traga muitas vantagens, os governos também devem lidar com questões de transparência e privacidade de dados.

Operadoras de saúde

Registros de pacientes, planos de tratamento, informações de prescrição. Quando se trata de cuidados com a saúde, tudo precisa ser feito rapidamente, com precisão — e, em alguns casos, com transparência suficiente para satisfazer as regulamentações rigorosas dessa indústria. Quando big data é gerido de modo eficaz, as operadoras de saúde podem descobrir insights escondidos que melhoram o atendimento ao paciente.

Manufatura

Munida com insights que o big data pode fornecer, a indústria manufatureira pode aumentar a qualidade e a produção enquanto minimiza o desperdício — processos que são fundamentais no mercado altamente competitivo de hoje. Mais e mais fabricantes estão trabalhando em uma cultura baseada em inteligência analítica, o que significa que eles podem resolver problemas mais rapidamente e tomar decisões de negócio mais ágeis.

Varejo

Construir relacionamentos com clientes é fundamental para o setor de varejo — e a melhor maneira de gerenciá-los é através do big data. Os varejistas precisam saber a melhor maneira de abordar os clientes, o modo mais eficaz de lidar com transações e o jeito mais estratégico de aumentar o número de negócios repetidos. O big data está no coração de todas essas coisas.

É importante lembrar que o principal valor do big data não vem dos dados em sua forma bruta, mas do processamento e da análise desses dados, e dos insights, produtos e serviços que surgem dessa análise. As mudanças radicais nas tecnologias e abordagens de gestão de big data devem ser acompanhadas por mudanças semelhantemente dramáticas no modo como os dados suportam decisões e inovam produtos e serviços.
Thomas H. Davenport em Big Data em Grandes Empresas

Como funciona?

Antes de descobrir como o big data pode favorecer seu negócio, você deve entender primeiro de onde vêm os dados. As fontes de big data geralmente se encaixam em uma destas três categorias:

Transmissão de dados

Esta categoria inclui dados que chegam aos seus sistemas de TI a partir de uma rede de dispositivos conectados. Você pode analisá-los no momento em que chegam, e tomar decisões sobre quais dados manter, quais não manter e quais requerem uma análise posterior mais aprofundada.

Dados de mídias sociais

Os dados de interações sociais são um conjunto cada vez mais atraente de informações, particularmente para marketing, vendas e suporte. São muitas vezes capturados em forma não-estruturada ou semi-estruturada, por isso representam um desafio único quando se trata de seu consumo e análise.

Fontes publicamente disponíveis
Volumes de dados massivos estão em canais públicos como o dados.gov.br do governo brasileiro, o World Factbook da CIA ou o Portal de Dados Abertos da União Europeia.

Após identificar todas as fontes de dados potenciais, considere as decisões que você precisará tomar uma vez que você comece a fazer uso destas informações. Elas incluem:

Como armazenar e gerenciar dados

Embora o armazenamento de dados teria sido um problema alguns anos atrás, hoje existem opções de baixo custo caso essa seja a melhor estratégia para o seu negócio.

Quanto deve ser analisado

Algumas organizações não excluem quaisquer dados de suas análises, o que é possível graças às tecnologias de alta performance de hoje, como computação em grid ou inteligência analítica in-memory. Outra abordagem é determinar antecipadamente quais dados são relevantes antes de analisá-los.

Como utilizar os insights descobertos

Quanto mais conhecimento você tiver, mais confiante você estará para tomar decisões de negócio. É importante ter uma estratégia desenhada para quando você tiver uma abundância de informações em mãos.

O passo final para fazer o big data trabalhar a favor do seu negócio é buscar pelas tecnologias que o ajudarão a tirar melhor proveito dele e de suas análises. Considere:
  • Armazenamento barato e abundante;
  • Processadores mais rápidos;
  • Plataformas de big data open source distribuídas e acessíveis, como o Hadoop;
  • Processamento paralelo, clusterização, MPP, virtualização, grandes ambientes de grid, alta conectividade e altas taxas de transferência;
  • Computação em nuvem e outros arranjos de alocação flexíveis de recursos.
COMPARTILHAR
COMENTÁRIOS
Os comentários são de total responsabilidade de seus autores, desta forma não representa a opinião do Retiro Notícias. Contamos com o bom senso e educação dos nossos internautas. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.