Bolsonaro quer estudos sobre moeda única entre Brasil e Argentina

Ao ser questionado se apoia a ideia, o presidente voltou a dizer que seu forte não é economia, mas disse acreditar no conhecimento e no patriotismo de Guedes.
às 16:21
O presidente Jair Bolsonaro, o chanceler Ernesto Araújo e o ministro da Economia, Paulo Guedes, em viagem a Buenos Aires (da esq. para a dir.) – Foto: Marcos Corrêa/Presidência da República

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) confirmou hoje ser favorável a estudos para uma eventual implementação de moeda única entre Brasil e Argentina, inicialmente, com a possibilidade de se expandir para o restante do Mercosul (Mercado Comum do Sul).

O assunto foi tratado ontem pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, em reunião com empresários e integrantes do governo, inclusive Bolsonaro, em Buenos Aires, capital da Argentina. A moeda já teria até nome: “peso-real”.

“O Paulo Guedes nada mais fez do que dar um primeiro passo para o sonho de uma moeda única na região do Mercosul. O peso-real. Como aconteceu com o euro lá atrás, pode acontecer o peso-real aqui”, afirmou Bolsonaro.

Ao ser questionado se apoia a ideia, o presidente voltou a dizer que seu forte não é economia, mas disse acreditar no conhecimento e no patriotismo de Guedes. Ao ser indagado se o Brasil teria de “pagar um preço” no caso da moeda única, devido à crise econômica pela qual vive a Argentina, Bolsonaro usou o casamento como metáfora.

“Em todo casamento alguém perde alguma coisa e ganha outras. Eu sou pelo casamento. Eu sou pela família tradicional”, afirmou.

Leia mais:

Projeto de lei “Neymar da Penha” é protocolado na Câmara por deputado do PSL

Lula, Palocci e Paulo Bernardo viram réus sob acusação de propina da Odebrecht

No Twitter, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), levantou dúvidas sobre os impactos de uma eventual adoção do peso-real. “Será? Vai desvalorizar o real? O dólar valendo R$ 6? Inflação voltando? Espero que não”, escreveu.

Só cinco moedas no mundo

De acordo com Guedes, no futuro é possível que haja cerca de cinco moedas no mundo, e a integração na América Latina poderia eventualmente levar a região a ter uma moeda única. Ele preferiu não citar um prazo para a implementação. Questionado ontem se teria como fazer essa moeda de maneira rápida, respondeu: “claro que tem. Tem jeito de fazer tudo na vida”.

Guedes afirmou que, para a moeda única se tornar realidade, é preciso fazer ajustes fiscais nos países envolvidos. Ao mesmo tempo, disse, é preciso aceitar riscos, como os que a Alemanha assumiu na União Europeia e, depois, acabou ganhando competitividade. Hoje, é um dos países com a economia mais bem-sucedida no mundo.

Questionado pela reportagem se o Brasil então poderia virar uma Alemanha no contexto da América Latina, Guedes respondeu “você concluiu bem”. Na avaliação do ministro, apurou a reportagem, o Brasil “engoliria” a Argentina e os outros países da região. Com informações do Uol Economia.

COMENTÁRIOS
Os comentários são de total responsabilidade de seus autores, desta forma não representa a opinião do Retiro Notícias. Contamos com o bom senso e educação dos nossos internautas. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.