Lava Jato em SP mira desvios no Rodoanel e prende ex-secretário de Alckmin

Laurence Casagrande Lourenço foi presidente da Dersa; suspeita é de mais de R$ 600 mi de superfaturamento

Com informações da Folha de S. Paulo

Foto: Jorge Araujo/Folhapress

A Polícia Federal realiza nesta quinta-feira (21) etapa d Lava Jato em SP, denominada de "Pedra no Caminho", que apura crimes cometidos por agentes públicos e empresários durante as obras no trecho norte do Rodoanel.

Segundo o Tribunal de Contas da União (TCU), o superfaturamento na obra chega mais de R$ 600 milhões.

De acordo com a Folha de S. Paulo, um dos alvos da operação é Laurence Casagrande Lourenço, que durante o governo de Geraldo Alckmin (PSDB) foi presidente da Dersa, estatal responsável por obras rodoviárias paulistas.  e secretário de Logística e Transportes. Laurence atualmente preside a Companhia Energética de São Paulo (Cesp).

Segundo a PF, ao todo são 15 mandatos de prisão temporária e 56 de busca e apreensão nas cidades de São Paulo, Ribeirão Preto, Bofete, Arujá, Carapicuíba e Marataízes (ES).

Os principais alvos da operação são suspeitos de corrupção, organização criminosa, fraude à licitação, crime contra a ordem econômica e de desvio de verbas pública, são eles ex-diretores da Dersa e executivos das construtoras OAS e Mendes Junior.

COMPARTILHAR
COMENTÁRIOS
Os comentários são de total responsabilidade de seus autores, desta forma não representa a opinião do Retiro Notícias. Contamos com o bom senso e educação dos nossos internautas. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.