Mágico é obrigado a revelar truque em tribunal

Segundo a imprensa britânica, Gavin Cox alega ter escorregado e caído dentro do túnel, tendo deslocado um ombro e sofrido uma lesão cerebral.

O ilusionista norte-americano David Copperfield viu-se obrigado a desvendar, em tribunal, um dos truques de magia mais famosos, no âmbito de um processo judicial interposto por um homem que alega ter sofrido graves ferimentos enquanto participava num espetáculo do artista, em 2013, em Las Vegas.

O indivíduo em causa, o britânico Gavin Cox, 57 anos, foi selecionado durante a sessão de magia para participar num truque, que consistia em fazer desaparecer de uma caixa e reaparecer atrás da sala de espetáculos todos os 13 voluntários. A seleção dos colaboradores é feita ao acaso no início do truque, sendo que não há comunicação prévia entre as partes envolvidas.

Cox alega ter-se magoado enquanto participava na prova, por falta de condições logísticas e avançou para os tribunais. A defesa do mágico fez o possível para evitar a revelação, mas o produtor executivo de Copperfield, Chris Kenner, não teve outra escolha senão divulgar o número de magia, chamado “Lucky13”: já em cima do palco, dentro de uma caixa grande coberta por uma cortina, as pessoas previamente selecionadas são conduzidas por um sistema de corredores secretos para o local onde aparecem quando a cortina cai.

Segundo a imprensa britânica, Gavin Cox alega ter escorregado e caído dentro do túnel, tendo deslocado um ombro e sofrido uma lesão cerebral. O advogado do homem denunciou, em julgamento, que o percurso não era seguro e que havia muita sujidade e detritos, acrescentando que ninguém da equipa do mágico verificou se a saúde dos voluntários e mesmo os sapatos que usavam eram adequados para a participação no truque.

O queixoso, que além de Copperfield, também denunciou a produtora do espetáculo, assegura ter gastado mais de 300 mil euros em cuidados médicos, na sequência do incidente.

Os advogados do mágico defenderam que 55 mil pessoas participaram anteriormente no truque sem sofrerem qualquer problema e responsabilizou Cox pela queda. “O que não é uma ilusão é que no final as provas mostrarão que nem David Copperfield nem a David Copperfield Inc. foram a causa de Cox cair naquela noite”, disse um advogado.

COMPARTILHAR
COMENTÁRIOS
Os comentários são de total responsabilidade de seus autores, desta forma não representa a opinião do Retiro Notícias. Contamos com o bom senso e educação dos nossos internautas. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.