No Brasil, fogos de artifício levam muita gente ao hospital

Acidentes causados por esses artefatos são comuns em época de festas juninas. E o perigo deve aumentar com a Copa do Mundo

Ilustração: Erika Vanoni/SAÚDE é Vital

O manuseio inadequado dos fogos de artifício entre 2008 e 2017 fez 5 063 pessoas serem internadas em todo o Brasil. Segundo o levantamento realizado pelo Conselho Federal de Medicina (CFM), em parceria com a Sociedade Brasileira de Cirurgia da Mão (SBCM) e a Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (Sbot).

A pesquisa é parte de um alerta das entidades em relação ao uso consciente desses artefatos durante a época de festas juninas e da Copa do Mundo.

Os dados retirados do Sistema de Informações Hospitalares do Sistema Único de Saúde mostram que a Bahia é a campeã de acidentes em quase todos os anos: 20% das internações ao longo da década ocorreram em municípios baianos.

São Paulo aparece em segundo lugar com 962 casos (19%) e, em seguida, Minas Gerais, somando 701 ocorrências (14%). Juntos, os três estados representam mais da metade dos todos os episódios registrados no período (53%).

Já Roraima aparece com 17 casos e Tocantins e Acre com 14. São os estados com o menor número de hospitalizações relacionadas ao uso de fogos em território verde e amarelo. Ainda segundo o trabalho, em 21 anos aconteceram 218 óbitos.

Saúde – Abril

COMPARTILHAR
COMENTÁRIOS
Os comentários são de total responsabilidade de seus autores, desta forma não representa a opinião do Retiro Notícias. Contamos com o bom senso e educação dos nossos internautas. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.