Para Bolsonaro, ‘nem precisava de lei’ sobre transporte de criança em cadeirinha

Presidente reagiu nesta quinta às críticas ao projeto que propõe fim da multa para a infração
às 0:43

Por Micael Levi com Folha de S. Paulo

Após receber diversas críticas sobre pelo projeto que propõe fim da multa para quem for flagrado transportando crianças em carros sem a cadeirinha de retenção, o presidente Jair Bolsonaro reagiu nesta quinta-feira (7),  e afirmou “nem precisava de lei” para regular a questão.

Bolsonaro transmitiu ao vivo nas redes sociais a partir de Buenos Aires, onde está em viagem oficial. “Está mexendo com o seu filho. Precisa estar na lei algo para o seu filho ser protegido? Nem precisava de lei. Quem tem responsabilidade sabe disso, vai lá e bota a cadeirinha atrás e leva o bebê ali atrás”, afirmou durante transmissão.

Consumidores escolhem cadeirinhas infantis para uso em carro (Foto: Daniel Marenco/Folhapress)

O projeto do governo define que motoristas que não usarem odispositivo de segurança —que, pela proposta, será obrigatório para crianças de até sete anos e meio— receberá apenas uma advertência escrita, sem multa. Segundo o presidente, o motorista que infringia a lei e era multado “recorria ao judiciário e ganhava”. “Ou seja, não tinha multagem e nem tinha também a perda de pontos na carteira”, afirmou. “Nós criamos a figura da advertência. E não tem multa obviamente, porque eu acho advertência é mais que suficiente.”

O presidente também disse que está sendo acusado de atentar “contra a vida da garotada.” “É exatamente o contrário. Não tinha punição e não tinha pena pecuniária também. Agora, com nosso projeto, caso se transforme em lei, vai ter a advertência.”Com informações do Folha de S. Paulo.

COMPARTILHAR
COMENTÁRIOS
Os comentários são de total responsabilidade de seus autores, desta forma não representa a opinião do Retiro Notícias. Contamos com o bom senso e educação dos nossos internautas. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.