Retirolândia: gerador é instalado em Hospital Municipal

Desde que assumiu a Secretaria da Saúde do município de Retirolândia, no inicio da gestão do prefeito Vonte do Merim, o secretário Claudio Inocêncio Gomes (Cacau), se mostrou bastante preocupado com a situação do gerador de energia do Hospital Municipal. O gerador foi adquirido na gestão anterior, com recursos federais, pelo valor correspondente a R$ 130 mil, mas nunca tinha sido instalado. De acordo com o contrato de execução, a fornecedora deveria entregar o equipamento instalado no setor, o que não aconteceu. 

Após o município acionar a justiça, a juíza substituta da Comarca de Retirolândia-BA, Ana Paula Fernandes Teixeira, deferiu liminar, determinando que empresa, na época contratada para realizar o serviço, fizesse a instalação do aparelho gerador, visto que, os valores pagos incluía a instalação. Após dias de espera, na tarde desta quinta-feira (06), a decisão da Justiça foi cumprida e o gerador foi devidamente instalado. 

Para o secretário da Saúde, Cacau, a instalação do equipamento é de grande importância para a garantia da realização das atividades hospitalares. O secretário explicou que o gerador não havia sido instalado antes por conta do município não poder pagar por um serviço que já havia sido pago anteriormente, o que, caso outra empresa fosse paga pelo mesmo serviço, poderia configurar crime de improbidade administrativa. 

Para o vereador Aquiles, autor de várias denúncias envolvendo a falta do gerador na gestão anterior, foi uma falta de responsabilidade do ex-prefeito ter aceitado receber o equipamento sem a instalação, o vereador disse ainda que o ex-prefeito pagou indevidamente pelo serviço de instalação não realizado.

A falta do equipamento também foi denunciada pelo site Retiro Notícias em diversas ocasiões.

COMPARTILHAR
COMENTÁRIOS
Os comentários são de total responsabilidade de seus autores, desta forma não representa a opinião do Retiro Notícias. Contamos com o bom senso e educação dos nossos internautas. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.