Retirolândia: prefeito pretende decretar estado de emergência no município

A seca prolongada que castiga a região nordeste há cerca de 5 anos consecutivos, tem trazido preocupação para as autoridades nas cidades que são atingidas pela estiagem nos Estados da região.

A falta de chuva em volume satisfatório vem causando a falta d’água nos reservatórios e barragens da região, ocasionando a falta do líquido para o consumo humano e animal.

Em Retirolândia, município que fica na região nordeste da Bahia, a cerca de 230 km de Salvador, as poucas chuvas que caíram no último mês de novembro não foram suficientes para abastecer as barragens que na época de seca, garantem o abastecimento para para a população.

Barragem do Mucambo

Barragem do Mucambo

A pouca água existente não será suficiente para atender a demanda por muito tempo.

Para complicar a situação, a companhia de abastecimento de água, empresa baiana de abastecimento e saneamento, Embasa, têm deixado a desejar no atendimento à população com a falta d’água constante. Populares residentes nas zonas urbana e rural, têm procurado a prefeitura em busca de água, devido à falta do líquido nas suas casas que deveriam ser abastecida pela empresa.

Mandápolis

Mandápolis

A companhia de saneamento diz que está trabalhando para melhorar o atendimento e alega que, em alguns casos, as reclamações partem de alguns que não são consumidores, mesmo tendo a tubulação em frente das suas casas.
A prefeitura do município tem socorrido o povo local por meio de carros-pipa. Os pedidos são frequentes na prefeitura e aumentam a cada dia, ocasionando altos custos para a Gestão Municipal com o pagamento de combustível e frete.

Para o prefeito, Alivanaldo Martins, conhecido por Vonte, a situação é preocupante. A seca tem inviabilizado a produção da fibra do sisal, principal fonte de renda do município. Em algumas propriedades, o agave está morrendo devido a longa estiagem. Com os motores que trabalham na produção, parados, os trabalhadores passam dificuldades para garantir o alimento das suas famílias, gerando os pedidos constantes de trabalho na prefeitura.2

O prefeito admite a existência de famílias em situação difícil, passando fome e sem ter onde adquirir o alimento diário. Para Vonte, a solução está nas mãos de Deus. Ele acredita que neste mês de fevereiro as chuvas deverão chegar para encerrar de vez o sofrimento da população e dos animais, aliviando também a preocupação e os custos que poderão ser ainda maiores, caso a seca se estenda por mais um período.

O prefeito deverá assinar um decreto ainda essa semana, estabelecendo estado de emergência no município.

facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail
Comente aqui!