Saída de médicos cubanos do Mais Médicos é grave ameaça para Norte e Nordeste

Estima-se que 8.500 médicos deixarão o Brasil.
às 12:50
Foto: Divulgação

Nesta quarta-feira (14), o governo cubano anunciou que deixará de participar do acordo de cooperação do Programa Mais Médicos, vigente desde agosto de 2013.

Em nota, Cuba diz que a decisão foi motivada por falas do presidente eleito Jair Bolsonaro, que desde a campanha criticava pontos da iniciativa.

Bolsonaro, por sua vez, afirma que o país não aceitou as condições impostas pelo novo governo para que o programa continuasse no próximo ano.

Estima-se que 8.500 médicos deixarão o Brasil. Eles trabalham em 2.885 cidades, sendo que 1.575 municípios só possuem cubanos no programa – 80% desses locais têm menos de 20 mil habitantes.

O fim da participação do governo de Cuba no programa Mais Médicos no Brasil, que foi anunciado nesta quarta (14), atingirá as áreas mais vulneráveis do país: região Norte, semiárido nordestino, cidades com baixo IDH (Índice de Desenvolvimento Humano), saúde indígena e periferias de grandes centros urbanos.

COMPARTILHAR
COMENTÁRIOS
Os comentários são de total responsabilidade de seus autores, desta forma não representa a opinião do Retiro Notícias. Contamos com o bom senso e educação dos nossos internautas. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.