Sobe o número de mortes por H1N1 em Salvador; Retirolândia registra um caso (atualizada às 19h)

Segundo a Secretaria de Saúde do Estado em Retirolândia foi registrado apenas um caso

Foto: Arisson Marinho

O número de mortes por H1N1 na capital baiana foi atualizado para 10 mortes. Uma criança de 2 anos moradora do Horto Florestal, bairro nobre de Salvador atualizou o número de morte causada pelo vírus. 

A campanha teve inicio em 23 de abril e desde o seu inicio somente 29% do público-alvo foi vacinado. A estimativa é vacinar 90% das 541.451 pessoas elegíveis para receberem o imunobiológico, recomendação do Ministério da Saúde. Segundo os dados do MS somente 154.554 foram vacinado, considerando o número abaixo da expectativa. 

“Na última semana, uma criança de apenas 2 anos veio a óbito na capital vítima da doença. Apesar da gravidade dos casos, é o público que menos tem procurado os postos de saúde para se proteger, menos de 20% foi imunizado. As crianças estão entre os grupos mais vulneráveis para complicações caso contraia a doença, inclusive com risco de morte, o que infelizmente já é uma realidade no município”, alertou a subcoordenadora de Imunização do município, Doiane Lemos, ao pedir mais atenção dos pais e responsáveis.

Segundo a Secretaria de Saúde do Estado (Sesab), nesta quarta-feira (9), que até o último sábado (5) foram notificados 687 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), com 54 óbitos. Dentre esses casos, 116 foram confirmados para Influenza, sendo 100 pelo subtipo A H1N1, com 15 deles evoluindo para óbito.

Além das 10 mortes na capital, há duas na Região Metropolitana, em Camaçari (1) e Lauro de Freitas (1), e mais três no interior: Retirolândia (1); Saúde (1) e Serrinha (1).

Caso em Retirolândia

Ainda segundo a Sesab, três municípios do interior baiano registra caso de morte causada por o vírus. Entre eles estão Retirolândia, território do Sisal na Bahia, com apenas um caso.

A prefeitura divulgou uma nota explicando o caso e como prevenir (ler nota). O secretário de saúde de Retirolândia informou ao RN que foram notificados 02 casos de SRAG, sendo um confirmado para A H1N1, com 01 óbito e 01 caso aguardando confirmação através de exame laboratorial. 

Ao RN o secretário informou que através de espirros e pela saliva é possível contrair o vírus. “Tem empenhado esforços no sentido de qualificar a sua equipe e conscientizar a população sobre o atual cenário epidemiológico instalado”, trecho da nota divulgada pela prefeitura.

Na Região Sisaleira foram notificados 13 casos sendo 05 casos confirmados para A H1N1 e 02
mortes secundárias a Síndrome Respiratória Aguda Grave causada pelo vírus.

A Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) se manifesta com os seguintes sinais e sintomas:

Tosse persistente, falta de ar, desconforto respiratório, febre por mais de 3 dias, dor de garganta, piora
de sintomas gastrointestinais, fraqueza, dores no corpo e desidratação. Nesses casos, procurar
imediatamente a unidade de saúde

Prevenção

Higienização das mãos com água e sabão ou álcool gel como rotina, ao tossir, antes e depois da
ingestão de alimentos e ao tocar em superfícies (maçanetas de portas, mesas, pias, etc);

Proteger nariz e boca ao tossir ou espirrar com lenço ou papel;
Evite passar as mãos no rosto, olhos, nariz e boca;

Manter ambientes arejados, com boa ventilação e iluminação;
Evitar eventos e locais com grande aglomeração de pessoas;

Não compartilhar utensílios como copos, pratos, talheres e toalhas;

Ouça a entrevista com do secretário de saúde de Retirolândia, Cláudio Inocêncio por Uryel Victor

Micael Levi – Retiro Notícias | Colaborou Uryel Victor | com informações da Sesab

COMPARTILHAR
COMENTÁRIOS
Os comentários são de total responsabilidade de seus autores, desta forma não representa a opinião do Retiro Notícias. Contamos com o bom senso e educação dos nossos internautas. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.